Notícias

NOTÍCIAS

MG: Pecuaristas investem e são pioneiros na certificação do leite

12/02/2014

MG: Pecuaristas investem e são pioneiros na certificação do leite

Para reestruturar a sua propriedade de leite, no município de Ibipuruna, no sul de Minas Gerais, o pecuarista Edson Regis Costa vendeu algumas vacas, conseguiu financiamento, gastou entre R$ 20 mil a R$ 30 mil. Com melhorias que foram da caixa d’água para fornecer água de melhor qualidade aos animais até novas máquinas para a ordenha, Costa conseguiu triplicar a sua capacidade de produção – que estava estagnada e sem possibilidades de crescimento – e aumentar a qualidade do leite produzido. Hoje, ele fornece 900 litros de leite para a indústria, diariamente. O trabalho de implantação de boas práticas na propriedade levou cerca de um ano e meio, com o propósito de agregar valor ao produto e garantir ao consumidor a qualidade do leite. Este mês, ele e outros cinco pecuaristas da mesma região serão os primeiros do país a receber a certificação do Programa Alimentos Seguros para a cadeia produtiva do leite (PAS-Leite). Todos eles tiveram o apoio e assistência técnica da Verde Campo, fábrica de laticínios sediada em Lavras (MG), dos quais são fornecedores. Os seis produtores certificados correspondem a 12% do volume de aproximadamente 60 mil litros de leite que são processados diariamente pela indústria. Com isso, os produtos fabricados pela Campo Verde com o leite certificado dos produtores devem receber, em suas embalagens, um novo selo de garantia de qualidade. “A Verde Campo tem 14 anos de existência e há 10 anos já estimula o produtor a trabalhar com qualidade da matéria-prima. A empresa tem a característica de remunerar melhor o leite pela qualidade e que está dentro dos padrões. A ideia de certificação do leite vem para consolidar a qualidade através de órgãos isentos no processo para garantir ao consumidor que o nosso leite é diferenciado”, explica o diretor comercial da fabricante, Álvaro Gazolla. A qualidade do leite comprado pela Verde Campo pode render ao produtor até R$ 0,14 a mais por litro. “Mas o maior ganho é a capacidade do produtor em gerenciar os números da fazenda, a sanidade dos animais, garantir a isenção de antibióticos, são obrigados a fazer vários exames. Com isso o produtor ganha mais”, afirma Gazolla. A expectativa da empresa é que a certificação atinja 80% dos 150 fornecedores de leite até 2017. Segundo Gazolla, a tendência do produtor que não investe na qualificação é que ele deixe de ser competitivo e saia do mercado. “A nossa intenção com essa certificação é trazer a garantia e mostrar que o nosso leite, que já tinha um processo muito rigoroso, tem uma qualidade diferenciada. E queremos que o nosso produtor cresça também, receba conhecimento e informação para que ele seja cada vez mais eficiente”. Para o pecuarista, o conhecimento adquirido no processo de melhorias e a garantia de uma remuneração maior pela qualidade trouxe mais otimismo para a sua atividade. “Estou satisfeito porque adquiri muito conhecimento que agregou na forma de tirar o leite, nos tratos dos animais, e até em relação às pessoas que vão consumir esse leite de uma forma mais segura. Sempre tive essa visão de melhoria e a gente encontrou uma empresa que pensa nisso e que vai passar esse lucro também para a gente”, diz Costa. O PAS-Leite criou uma metodologia de análise do leite, o que garante um resultado positivo e de qualidade do alimento. Para obter a certificação, foram realizadas diversas etapas entre treinamento teórico, diagnóstico inicial, consultorias na propriedade, verificações e auditoria. Foram analisados itens como nível de higiene que o leite foi ordenhado, qualidade do armazenamento e, principalmente, a segurança do leite, o principal diferencial do Programa. O programa engloba uma série de boas práticas que resulta em um produto com qualidade superior e com maior valor agregado. O projeto completo, que tem duração de três anos, possui 112 itens para adequação. A implantação do PAS-Leite nas fazendas é realizada por meio do treinamento dos Serviços Nacionais de Aprendizagem Rural (Senar). Após esta etapa, é feito um diagnóstico da propriedade e elaborado um plano de adequação. O PAS-Leite é uma iniciativa do Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae), Mapa, Serviços Nacionais de Aprendizagem Rural (Senar) e Industrial (Senai) e da Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária, através da Embrapa Gado de Leite. Fonte texto e foto: www.milkpoint.com.br, com informações do Globo Rural Notícias

Outras Notícias

OUTRAS NOTÍCIAS

Acesso Rápido

INFORMAÇÕES

RODOVIA ANHANGÜERA 313KM - CAIXA POSTAL 336

RIBEIRÃO PRETO - SP - BRASIL - CEP 14001-970

55 16 3969-1159

MARANGATU@MARANGATU.COM.BR

Rodapé