Notícias

NOTÍCIAS

Milho irrigado rende média de 18 toneladas por hectare no Rio Grande do Sul

21/02/2014

Milho irrigado rende média de 18 toneladas por hectare no Rio Grande do Sul

O Clube da Irrigação promoveu nesta quarta, dia 19, o Tour Amarelo – Milho, em Seberi, no Rio Grande do Sul. O dia de campo reuniu cerca de 150 produtores, que acompanharam a colheita de milho e os resultados obtidos na safra 2013/2014 com o uso da irrigação. Na propriedade de Fábio Fabris Hulk, a irrigação contribuiu para o aumento da produtividade, que pode chegar a 20 toneladas do grão por hectare. – A nossa produtividade está variando entre 17 e 20 toneladas por hectare. Acredito que, na média, devemos fechar em 18 toneladas, ou seja, 330 sacas por hectare – comemora o produtor. O Clube orienta para as áreas com pivô, mas o produtor destaca também a produtividade nas áreas de sequeiro. – Fechamos a média de 400 hectares de sequeiro, com 200 sacas por hectare. É uma média muito boa. Utilizamos parte das tecnologias usadas em áreas irrigadas e tivemos excelentes resultados – diz. O presidente do Clube da Irrigação, João Telles comemora os bons resultados com o uso da tecnologia. – Essa é quarta safra do Clube e o nosso desafio esse ano era superar 300 sacas por hectare. É um trabalho de toda uma equipe. Conseguimos com o milho e o nosso próximo desafio é 120 sacas por hectare de soja – salienta Telles. O coordenador de marketing do Grupo Focking, Ragde Venquiarutti Paz, reforça que a tecnologia é eficiente e, associada a outras tecnologias e ao bom manejo, garantem produtividade. Ele também afirma que não falta financiamento para os produtores investirem neste tipo de tecnologia. – Financiamento existe, os recursos estão saindo, a questão agora é a conscientização do produtor de que ele não pode perder safra nem ficar torcendo para que chova na sua propriedade. João Telles também falou sobre o Rally do Clube da Irrigação 2014, que vai promover visitas técnicas a propriedades que utilizam a tecnologia de irrigação nos municípios gaúchos de Palmeiras, Pejuçara, Cruz Alta, Júlio de Castilhos, Cachoeira do Sul e Bagé. – De quarta até sexta o Rally vai ser 800 quilômetros visitando áreas aonde o Clube tem intervenções. Vamos ver a real situação das lavouras, além de falar com produtores para divulgar a nossa tecnologia – diz. O evento contou com um ciclo de palestras sobre Manejo Integrado de Pragas, com Mauro Tadeu Braga, especialista em insetos e consultor do Instituto Phytus, e sobre Manejo Integrado de Plantas Daninhas, com o engenheiro agrônomo Carlos Dalmazzo, coordenador de Desenvolvimento de Mercado na área de Crop Protection da Monsanto. O Clube da Irrigação foi criado em 2010 por iniciativa da Comissão de Irrigantes da Federação da Agricultura do Rio Grande do Sul (Farsul) e da Dekalb, divisão de sementes de milho do grupo Monsanto. Participam da iniciativa as empresas Stara e Fockink, a Universidade Federal de Santa Maria e o Serviço Nacional de Aprendizagem Rural (Senar-RS). Fonte: agricultura.ruralbr.com.br Foto: www.panoramio.com

Outras Notícias

OUTRAS NOTÍCIAS

Acesso Rápido

INFORMAÇÕES

RODOVIA ANHANGÜERA 313KM - CAIXA POSTAL 336

RIBEIRÃO PRETO - SP - BRASIL - CEP 14001-970

55 16 3969-1159

MARANGATU@MARANGATU.COM.BR

Rodapé